A Ciência da Informação e a Ciência de Dados possuem em comum alguns conhecimentos e práticas, mas se distanciam muito em seus objetivos por serem complementares.

Existem gaps de conhecimento em ambas as áreas que provocam muito ruído de comunicação e ameaçam muitos projetos de Gestão e Governança de Dados.

O profissional de TI por sua vez não tem a formação em nenhuma das duas áreas mencionadas e por muitas vezes a bola vai parar na área da TI sem que tenha profissionais com especialização adequada para “defendê-la” e acaba assumindo um projeto que deveria ser multidisciplinar.

A prática recomendada no mercado, é buscar criar a Governança de Dados em uma área de Negócios, por ser uma área estratégica e necessitar de equipe com enfoque múltiplo para atender aos múltiplos desafios. Quando não houver essa visão ou área na organização, a recomendação é criá-la, pois nenhuma outra área terá as práticas necessárias para implantar os novos processos e cultura organizacional. A área deve ser forte e vinculada à alta diretoria.

Para entender um pouco a diferença entre a Gestão da Informação e a Governança de Dados, criei um quadro com algumas comparações que podem ser úteis e estabelecem algumas fronteiras. Muito importante que uma beba na fonte da outra, pois são áreas que possuem uma troca muito rica. O profissional da Informação pode apoiar a padronização de dados, a definição de metadados, elaborar glossários, criar taxonomias e categorias que ajudam a estruturar e definir os dados mestres, transacionais e de referência.

Segue o quadro comparativo que mantenho na versão beta contando com seus comentários, críticas e sugestões.

https://docs.google.com/presentation/d/1yQ5AgOrDtgd4FaYQeCl6ZHaIW5o1agLaEq4cdPHIErs/edit#slide=id.g3e9c14148b_0_11